Longevidade e Qualidade de Vida: o Papel da Arquitetura

Pela Profa. Dra. Luciana de Lacerda

Que a população brasileira está envelhecendo não é novidade para quase ninguém. No Brasil, entra-se na terceira idade com 60 anos. O aumento do número de idosos requer que os profissionais se especializem em serviços para essa faixa etária. Não são somente os profissionais de saúde que devem entender sobre isso. Nós, arquitetos, engenheiros e designers de interiores temos que ficar atentos, pois iremos prestar serviços cada vez mais para essa população.

Estamos mais longevos, dessa forma, tornam-se necessários atendimentos e serviços específicos para a terceira idade como adequação de ergonomia e acessibilidade, criações de Centros-Dias (espaços com serviços de permanência diurna voltado para idosos, sem a modalidade asilo) e ILPI’s (Instituição de Longa Permanência para Idosos).

Sabendo disso vem a pergunta: “como projetar para essa faixa etária?” A primeira coisa que temos que ter em mente é que os indivíduos na terceira idade são diversos. Não devemos nos ater somente a idade cronológica, precisamos analisar o perfil funcional, saúde e nível de dependência em que se encontra o idoso. Trata-se de um projeto multidisciplinar em que você precisará conversar com a família, fisioterapeuta, médico, terapeuta ocupacional e, logicamente, com o idoso. A participação dele é fundamental para que haja adesão às melhorias propostas e exista avanço na qualidade de vida.

A quantidade de intervenções que deverão ser propostas dependerá do nível de independência do idoso. Por isso, é necessário identificar quais atividades da vida diária ele tem ou não autonomia e em quais atividades usa tecnologia assistiva ou a ajuda de uma pessoa. Também temos que pensar preventivamente para amenizar os riscos. Dessa forma, fundamentando o projeto com esses dados, o idoso poderá ter mais autonomia, conforto e segurança no seu dia a dia. Abaixo, listo algumas dicas que podem ser consideradas unânimes para projetos para a terceira idade:

  • Iluminação uniforme e bem distribuída
  • Iluminação com sensor de movimento
  • Luz noturna
  • Iluminação de reforço nas áreas de trabalho (bancadas de cozinha, banheiros)
  • Piso nivelado e antiderrapante
  • Barras de apoio em banheiros
  • Evitar o uso de tapetes
  • Móveis em alturas adequadas
  • Portas com 90cm ou no mínimo 80cm

O papel de nós, arquitetos, engenheiros e designers de interiores é fundamental para manter por mais tempo a autonomia do idoso. É um nicho de trabalho muito significativo, pois temos que ter longevidade com qualidade de vida.

Quer saber mais sobre projetos para idosos, acessibilidade, ergonomia e desenho universal? Vem fazer a pós Arquitetura e Design de Interiores: Tecnologia e Projeto. Nela você irá cursar a minha disciplina “Aspectos de acessibilidade, ergonomia e vigilância sanitária para projetos” onde darei várias dicas sobre projetos acessíveis!

Compartilhe!

Deixe um comentário

Estamos atendendo pelo WhatsApp

Seguindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde, estamos trabalhando de home office temporariamente. Se precisar de atendimento, pode nos enviar um WhatsApp que responderemos o mais breve possível!