Era doce e se acabou? O alerta da OMS sobre adoçantes

O que você vai ler

Pode tomar adoçante todo dia? Quem não tem diabetes pode usar adoçante? O que é mais saudável açúcar ou adoçante? Afinal, quantas gotas de adoçante no café?

Organização Mundial da Saúde desaconselha o uso de adoçantes-sem-açúcar pela população em geral

A dúvida sobre o que é mais saudável – se açúcar ou adoçante – é antiga e vem dividindo opiniões. Um relatório recente da Organização Mundial da Saúde (OMS), no entanto, renova o alerta de que o consumo de adoçante pela população geral é mais danosa à saúde do que se admitia até então.

Por trás da polêmica sobre os adoçantes há uma intensa queda de braço entre ciência, sociedade e indústria. E é essa briga que as novas diretrizes da OMS prometem chacoalhar.

Leia também

Faculdade EnsinE é a maior parceira da AMIB no país

Saiba como o cérebro aprende

Pós-Graduação em Nutrição: como escolher a certa?

Adoçante faz mal?

A polêmica, que surgiu há mais de 100 anos, ganhou um novo capítulo em 2023, com a publicação de uma nova diretriz da OMS sobre adoçantes sem açúcar.

Ao contrário do que diziam os defensores da substância, a diretriz da OMS apontou que não há nenhuma evidência de que o uso de adoçantes traga benefícios a longo prazo na redução da gordura corporal em adultos ou crianças. Pior ainda: o uso contínuo pode ser prejudicial à saúde.

A história dos adoçantes, de heróis a vilões

O mercado dos adoçantes sem açúcar começou no século XIX, com a busca por uma alternativa comercialmente viável ao açúcar natural produzido nos países tropicais.

Foi assim, de pesquisa em pesquisa e muitas vezes por acaso, que vários adoçantes começaram a surgir. Muitos, curiosamente, derivados do petróleo: como a sacarina, em 1897, e o ciclamato, em 1937.

Poucos anos depois de descoberta ao acaso por um químico que tentava derivar o alcatrão de hulha em novos compostos, a sacarina já era largamente utilizada na indústria alimentícia. Tudo isso, claro, sem o conhecimento ou consentimento da maioria da população.

Foi o químico Harvey Washington Wiley, em 1906, quem primeiro apontou que o uso indiscriminado de sacarina talvez não fosse boa ideia. A sacarina chegou a ser banida em 1912, mas voltou a ser utilizada nos produtos alimentícios a partir da primeira guerra.

Fichas técnicas, estudos de caso e mais: os melhores ebooks da Nutmed para você.

“Adoçante é bom” x “Adoçante é mau”

Todavia, conforme abriam novos mercados, os adoçantes passaram a ser acompanhados por um batalhão de argumentos a favor do seu consumo. Produtores, comerciantes e adeptos logo se apressaram a louvar os adoçantes como aliados poderosos no emagrecimento e combate ao consumo excessivo de açúcar.

Do outro lado, a sociedade covil lutou repetidas vezes por transparência em relação aos alimentos, colocando tais argumentos à prova.

No final do século XX, uma controvérsia apontou o aspartame como causador de câncer no cérebro, aterrorizando os cafezinhos e mobilizando tanto opinião pública quanto órgãos reguladores.

Já a sacarina voltou a ser proibida nos EUA e Canadá durante a década de 1990, depois que estudos apontaram potenciais efeitos carcinogênicos, hepatotoxicidade e danos no estômago e DNA provocados pelo consumo do adoçante.

Desde então, o mercado global de adoçantes cresce a cada ano: 94,48 bilhões de dólares segundo avaliações de 2021.

Novas pesquisas sobre os adoçantes

Em 2022, porém, a revista científica PLOS (Public Library of Science) publicou um estudo feito por 18 especialistas em saúde sobre a relação entre desenvolvimento de câncer e o uso de adoçantes artificiais, acendendo novamente o alerta: a relação está lá.

Ainda em 2022, dessa vez na Revista Cell, outro artigo mostrou que adultos saudáveis que usam sacarina apresentam pioras nos níveis de resposta glicêmica.

E finalmente chegamos a Maio de 2023, com a diretriz da OMS se posicionando contra o uso do adoçante pela população em geral.

A recomendação da OMS sobre consumo de adoçantes

A recomendação – baseada em uma revisão sistemática das evidências científicas disponíveis – indica que o consumo a longo prazo de adoçantes sem açúcar não proporciona benefícios substanciais em termos de redução de gordura corporal.

Além disso, há maior suscetibilidade ao diabetes tipo 2, crescimento de doenças cardiovasculares e até mesmo de mortalidade em populações adultas.

A diretriz da OMS sobre adoçantes sem açúcar faz parte de um conjunto abrangente de diretrizes existentes e futuras sobre práticas alimentares saudáveis. Seu objetivo é promover hábitos alimentares saudáveis ao longo da vida, melhorar a qualidade da dieta e diminuir a carga global de doenças não transmissíveis.

Em comunicado, a Anvisa destacou que o estudo da OMS não tem como objetivo rever o perfil de segurança dos adoçantes sem açúcar. “A recomendação é condicional, já que há necessidade de reunir mais informações sobre as consequências versus os benefícios da sua adoção, sugerindo aos países que ampliem a discussão em seus territórios, incluindo dados sobre a extensão de consumo dessas substâncias pela população nacional” (fonte: Agência Brasil – Brasília).

Deixe um comentário

Você também pode gostar de ler

Enfermagem

Síndrome de Burnout: por que estamos todos cansados?

A síndrome do burnout é um fenômeno que vem crescendo de maneira alarmante em todo o planeta. Caracterizada por um estado de esgotamento físico e emocional extremo, essa condição afeta milhões de pessoas em todo o mundo e tem se tornado uma das grandes questões de saúde pública. Você se sente esgotado, sem energia, e cada vez mais distante do trabalho? Se a resposta for sim, você pode estar sofrendo com a síndrome de burnout, um problema que cresce a

Continuar lendo »
Empreendedorismo

Precificação de alimentos: guia completo para sair do vermelho

A precificação de alimentos bem elaborada é um dos pilares de grandes e pequenos serviços de alimentação: controla despesas, maximiza a eficiência e contribui para um negócio saudável e lucrativo. A verdade é dura: 80% dos restaurantes fecham nos primeiros cinco anos. Embora muitos fatores contribuam para essa estatística desanimadora, um vilão muitas vezes escondido – o mau gerenciamento de custos – é um dos grandes responsáveis. Para resolver esse problema é fundamental entender todos os fatores que influenciam o cálculo

Continuar lendo »
Nutrição

Melhorando a performance com Nutrição esportiva

A nutrição esportiva fornece o combustível e a recuperação essenciais que os atletas precisam para treinar com mais intensidade, recuperar-se mais rápido e, em última instância, atingir o auge de seu desempenho. No findo, todo mundo sabe que existe uma interação fundamental entre aquilo que nós comemos e como o nosso corpo funciona. Um corpo bem nutrido pode fazer coisas que um mal nutrido não pode. E isso é crítico quando estamos falando de correr 90 minutos, conseguir aumentar a

Continuar lendo »
Gastronomia

Jornal Nacional mostra a falta de padeiros no Brasil

Difícil encontrar alguém que não ame o cheiro, o som, o sabor e a alegria de um pão fresquinho. O pão é a base da alimentação da maioria dos brasileiros e um alimento fundamental no cotidiano das famílias, estudantes e colegas de trabalho. Já imaginou o que aconteceria se toda essa gente ficasse sem pão? Pois saiba que tal cenário hipotético – e terrível – é motivo de análise nos últimos anos. Isso porque o mercado de trabalho na área

Continuar lendo »

Funcionamento durante o recesso de Páscoa

A partir de quinta, dia 28, todos os nossos setores estarão em recesso. Retornaremos na segunda-feira, dia 1º de abril (é verdade)!

Aproveite o feriado com alegria e chocolates!