Empreendedorismo Criativo: entenda o que é essa tendência

Que novas ideias podem revolucionar o mundo, você já sabe. Mas como a criatividade tem transformado o mercado? Entenda agora a nova tendência do empreendedorismo criativo.

Inovar para empreender

O termo “economia criativa” foi criado por John Howkins, autor e pesquisador inglês, em 2001, quando lançou o livro “The Creative Economy”. A obra reuniu, pela primeira vez, conceitos como inovação e criatividade, antes não associados ao desenvolvimento do setor econômico.
Qualquer atividade que esteja relacionada com os setores de consumo, cultura, mídias ou tecnologia, já faz parte do que entende-se como empreendedorismo criativo.
A economia criativa é um dos setores que mais crescem na economia mundial, com um índice de, aproximadamente, 8.8% de crescimento anual.
De acordo com o Sebrae, o Brasil é um país de destaque em criatividade no mundo, gerando um Produto Interno Bruto que corresponde a 2,7% do PIB nacional.
Além de ser um protagonista na geração de renda, o empreendedorismo criativo é um dos grandes responsáveis, na atualidade, pela criação de novas oportunidades de emprego e ganhos de exportação.
No Brasil, essa prática conta com o apoio de órgãos públicos, como a Secretaria da Economia Criativa (SEC), que busca promover e coordenar o desenvolvimento e fortalecimento da economia cultural Brasileira.
A SEC é responsável pela implementação e articulação de linhas de investimento para o empreendedorismo criativo no país.

A cara da inovação

Segundo Joseph Schumpeter, economista e cientista político que popularizou o termo “empreendedorismo”, o empreendedor é “alguém versátil, que possui as habilidades técnicas para saber produzir, e capitalistas ao reunir recursos financeiros, organiza as operações internas e realiza as vendas de sua empresa”.
No empreendedorismo criativo, o diferencial competitivo do empreendedor é a forma de usar a mente e a criatividade para obter lucro.
Assim, com a criatividade atrelada à imaginação, esses novos profissionais criam modelos de negócios inovadores para atender às novas necessidades da sociedade.
Além de pensar soluções para os problemas que já existem, esses empreendimentos já estão passos à frente, cientes de demandas que ainda nem foram criadas.
Os empreendedores criativos são pessoas otimistas, talentosas e de ambição, que encaram o trabalho, não como uma obrigação, mas como uma atividade prazerosa.
As indústrias criativas são aquelas que produzem serviços que se relacionam à indústria cultural e também daqueles que precisam de inovação – como a criação e desenvolvimento de softwares.
Além deste, outros exemplos de empreendimentos criativos são os eventos como festivais de música e feiras gastronômicas, cada vez mais populares ao redor do mundo.

Como fazer parte do empreendedorismo criativo?

Se você se interessou em se tornar um empresário criativo, aqui está tudo o que você precisa saber para começar seu negócio.

Sonhe com a oportunidade

Qual é o tipo de negócio que você deseja ter? O primeiro passo é pensar como você quer que seu empreendimento seja e como ele vai parecer quando tiver alcançado o sucesso.

Foco no Cliente

Essa é uma das características mais importantes no empreendedorismo criativo: o cliente é o centro do negócio.
Por isso, é fundamental estar sempre atento a quem é seu consumidor, onde ele se encontra no mercado, o que e como pensa e quais são suas necessidades.

Como agradar e agregar valor

Pensar no que você vai oferecer para agradar o seu cliente é essencial. Pode ser um serviço, um produto ou, simplesmente, melhorar o seu relacionamento com seu consumidor.
Qual é a proposta da sua marca e como ela agrega valor para o seu cliente e para a sociedade?

Pense fora da caixinha

O empreendedorismo criativo mora no inédito. Qual é o diferencial competitivo do seu negócio?
Busque ter ideia de produtos ou serviços diferentes e que não existem ainda no mercado. A inspiração pode de qualquer lugar, inclusive buscando soluções para questões simples do seu cotidiano.

Mão na massa

Planeje, estruture seu negócio e coloque o sonho do papel em prática!
Crie metas, trace ações e planos e inove nos caminhos para alcançar o objetivo do seu negócio.

3 dicas para estimular a criatividade

Se você precisa de um empurrãozinho para começar com o empreendedorismo criativo, o primeiro passo é saber que todo mundo é capaz de ter ideias inovadoras.
Mas, se precisar de uma ajudinha, aqui vão algumas dicas para te ajudar a despertar e exercitar o seu lado criativo.

Sede por conhecimento

Manter a mente aberta e buscar novos conhecimentos é apontado por especialistas como uma grande forma de estimular a criatividade.
É através do conhecimento, do knowhow e do repertório adquirido que conseguimos ressignificar ideias e projetos que já existem e criar algo novo, de acordo com as necessidades do dia-a-dia.
Além de se manter informado por livros ou jornais, assistir a vídeos ou filmes, ouvir música e podcasts, conviver com um grupo eclético de pessoas próximas- como amigos e família, por exemplo – pode ajudar a ser mais criativo.
Estimule seu cérebro com novidades!

Toda ideia é importante

Valorize seus pensamentos!
Não fique esperando a grande ideia. A expectativa por esse processo pode gerar uma série de frustrações que bloqueiam o processo criativo.
Se teve uma ideia, anote, pense mais sobre ela, confie na sua intuição e deixe o fluxo de pensamento fluir.
Afinal, nunca se sabe de onde a tal “grande ideia” vai surgir.

Tenha foco, mas também descanse

Quando for se dedicar a um processo criativo, tenha foco no seu trabalho e evite distrações.
A concentração ajuda a estabelecer conexões dentro do cérebro, tornando seu trabalho mais produtivo.
Por outro lado, descansar também é muito importante nesse processo!
Desligar a mente é essencial para organizar e fixar o conhecimento adquirido e os insights que você pode ter.
A qualidade do sono também é um fator essencial, não apenas para manter a saúde do corpo físico, mas também para o aspecto mental.

Se interessou pelo empreendedorismo criativo? Confira aqui um exemplo, na prática, de quem viveu essa experiência e montou uma marca de sucesso: Bruno Imbrizi, co fundador da Chico Rei.

Compartilhe!

Deixe um comentário