Manhã de imersão: evento abordará a perspectiva integral na educação.

No próximo sábado (13), à partir das 9h30, acontece o evento Manhã de imersão: educação integral e suas possibilidades na vida do professor. O encontro será ministrado pelo coordenador da pós-graduação da Ensin.E, “Formação de educadores em uma perspectiva integral”, Gabriel Matos. A ideia do encontro é abordar o conceito da educação integral e suas funcionalidades na vida do professor.

Gabriel Matos, palestrante

” A educação integral é a promoção do desenvolvimento integral do indivíduo em todas as suas dimensões, ou seja, o desenvolvimento intelectual, físico, emocional, social e cultural. Sendo assim, essa não é uma responsabilidade única da escola, mas sim uma responsabilidade coletiva, que envolve os estudantes, as famílias, os educadores e a comunidade local. Nossa ideia com o lançamento dessa pós é tornar os profissionais da educação cientes dessa realidade e principalmente pronto para encarar qualquer mudança e desafio em sala de aula”, explica Gabriel.

No curso gratuito e on-line, os participantes poderão entender o conceito mais a fundo e ter uma prévia do conteúdo que será abordado na pós-graduação.

As vagas são limitadas, e após o término do curso, os participantes vão receber certificados. Ainda dá tempo de se inscrever, basta clicar aqui!

 

Quais são os princípios da Educação Integral? 

Centro de Referências em Educação Integral explica que a formação integral e global do estudante deve acontecer de acordo com alguns princípios: centralidade do estudante, aprendizagem permanente, perspectiva inclusiva e  gestão democrática. Vamos ver o que cada um deles significa?

1. Centralidade do Estudante 

O primeiro princípio é a centralidade do aluno, ou seja, como o próprio termo diz, o foco é no aluno. Com isso, todo projeto pedagógico deve ser construído e revisitado a partir das necessidades do aluno.

Isso significa que a proposta deve ser personalizada e que tenha, de fato, a participação dos alunos nessa construção de um processo de ensino-aprendizagem global.

2. Aprendizagem permanente 

Outro princípio é a aprendizagem permanente, o que pressupõe que todas as dimensões do processo de ensino-aprendizagem estejam inseridas no currículo. Dessa forma, as dimensões desenvolvidas não é somente a intelectual, mas também a social, emocional, física e cultural, compondo assim um desenvolvimento integral.

Segundo o Centro de Referências em Educação Integral, “na Educação Integral os conteúdos acadêmicos se articulam aos saberes dos alunos e comunidades, dialogam com diferentes linguagens e compõem experiências formativas que envolvem e integram o conhecimento do corpo, das emoções, das relações e códigos socioculturais”.

3. Perspectiva inclusiva 

A perspectiva inclusiva também está entre os princípios da educação integral. Portanto, as propostas pedagógicas devem respeitar todas as diferenças, como as deficiências, a origem étnica e racial, religiosa, entre outros.

Dessa forma, é proposto que todos os espaços escolares sejam inclusivos e que, nesses locais, os estudantes tenham oportunidade de desenvolvimento em suas inúmeras dimensões.

4. Gestão democrática

Outro pilar importante é a gestão democrática, que existe para garantir os interesses e necessidades de aprendizagem e desenvolvimento dos estudantes.

Assim, a gestão democrática pressupõe que as decisões e o acompanhamento das atividades sejam realizados de forma coletiva com a comunidade escolar – alunos, pais e educadores.