A evolução da musculação

Você já parou para pensar na história da musculação? Bom, o exercício físico sempre fez parte da rotina do ser humano. Há achados históricos em pedra talhada de pessoas praticando exercícios com peso. Paredes de capelas funerárias do Egito mostram que, há 4.500 anos atrás, homens da época também utilizavam pesos para se exercitar. Existem também várias estátuas gregas encontradas no passado que representavam corpos musculosos.
Falando em Grécia, há quem diga que o primeiro a usar métodos de musculação foi o grego Milon de Crotona, um atleta seis vezes campeão das Olimpíadas. Sabe o ditado “quem quer dar um jeito”? O cara levava isso a sério! Ele costumava fazer corridas com um bezerro nas costas, hardcore real, né?
Mas a história da musculação se consolidou muito tempo depois…

Século 19 e a influência de Eugen Sandow na musculação

No final do século 19, a população ia se tornando cada vez mais sedentária, e consequentemente os problemas de saúde foram aparecendo. Nesse meio tempo, surge Eugen Sandow, o pai do fisiculturismo moderno. O russo foi um dos primeiros atletas a desenvolver intencionalmente sua musculatura em dimensões pré-determinadas.
Como muitos incitantes na musculação, Eugen era um adolescente magro e com um físico não muito esportivo. Entretanto, ainda jovem iniciou uma jornada de treinamento intenso com objetivo de moldar o seu corpo. Nesse período, Sandow entrou em uma companhia circense e com ela viajou pelo mundo.

Eugen Sandow é considerado o pai da musculação, por desenvolver intencionalmente sua musculatura em dimensões pré-determinadas.

Só que o que realmente imortalizou o nome de Sandow no esporte foi seu tino por negócios. O atleta percebeu um grande um potencial no nicho de musculação. Então em 1897, Eugen lançou uma das primeiras marcas de suplementos nutricionais para esportistas e começou a publicar uma revista mensal de esportes.
Além disso, Sandow foi fundador da primeira cadeia mundial de academias de ginástica, bem como o primeiro atleta a organizar uma competição profissional de fisiculturismo.
De fato, Eugen Sandow abriu caminhos para a consolidação da musculação e do fisiculturismo.

Anos 40: A ascensão do culturismo

Apesar do século 19 ter pavimentado o caminho para a musculação, sua prática só ganhou credibilidade no século XX, mais especificamente em 1939, quando ocorreu a regulamentação do Culturismo feito pela American Athetic Union.
Ainda em 1939, foi criado o Mr. América, um campeonato que avaliava seus competidores pelos aspectos da hipertrofia, definição muscular, proporção entre as dimensões dos grupos musculares e sequência de poses. Enfim, a criação desse evento e a regulamentação representam a ascensão do culturismo.
O fisiculturismo, como é conhecido hoje, passou a ser definido como esporte em 1946, com os campeonatos de culto ao corpo esculpido. Até então, existiam os concursos de beleza física, conhecidos como Mister Universo. Atualmente, o fisiculturismo é a sexta modalidade esportiva mais difundida no mundo.

Os anos 70 e a influência do Cinema e da Televisão

Durante muito tempo, o cinema e a TV ditaram os padrões de beleza. Nos anos 70, acompanhamos uma leva de filmes de lutas com personagens passando por grandes transformações em seus corpos. Por exemplo, Arnold Schwarzenegger , Sylvester Stallone e Lou Ferrigno são alguns nomes que marcaram a época.

Arnold Schwarzenegger é até hoje considerado uma referência no fisiculturismo e na musculação.

Nesse momento, a prática da musculação passou a receber maior atenção comercial, consolidou-se como atividade física e estimulou o desenvolvimento de pesquisas em torno de suplementos, nutrição e dos polêmicos anabolizantes.
Por outro lado, a TV e o cinema também tiveram impactos negativos sob o público. “A TV com seus artistas de novela e o cinema com seus grandes atores influenciaram e continuam influenciando a busca pelos corpo ideal, motivando muitos a se exercitar. Entretanto, isso também leva muitos a doenças como bulimia, vigorexia e anorexia”, nos conta o educador físico Rogério Tasca.

“Só atualmente o exercício físico, principalmente a musculação, tem sido ligada à saúde como deve ser e não somente pela estética.”

Um novo século, uma nova era na musculação

Atualmente vivemos uma onda fitness que movimenta o país: a indústria de atividades físicas gera 2,1 bilhões de dólares no Brasil. Para você ter ideia, o Brasil ocupa o segundo lugar no ranking de academias de musculação e, por consequência, a demanda por profissionais só aumenta.
E os motivos de tanta procura? A musculação evoluiu com o avanço da tecnologia. “A produção científica mais do que dobrou, inclusive provando muitas coisas que os próprios fisiculturista testaram. Os aparelhos se tornaram mais agradáveis e confortáveis de treinar. Os aplicativos também têm papel importante, gamificando as atividades e engajando mais a população com o exercício”, afima Rogério.

Além disso, vivemos um período de naturalização de diferentes corpos e consequentemente, o ambiente fitness tende a ficar  cada vez mais diverso. “O motivo concreto do exercício é saúde, qualidade de vida e um dos benefícios é o estético. O benefício estético não para um padrão específico ou em uma competição do corpo ideal, mas sim de adaptações positivas do seu corpo, de vitórias suas a cada ponto que vc percebe melhora”, diz Rogério.

Exercício era opção. A pandemia deu um tapa na cara da sociedade demonstrando que não! Exercício é necessário e essencial à vida .

Dessa forma, podemos observar como a musculação sempre esteve presente na história humana. Mesmo que existam diversos motivos para alguém procurar a musculação, as pessoas estão cada vez mais conscientes e buscando um equilíbrio entre o estético e a saúde.
A mudança é lenta e gradual mas já conseguimos ver uma grande evolução.

Conheça nossa Pós!

Gostou de conhecer um pouco mais sobre a história da musculação? Tem interesse em aprender ainda mais? Então é possível que a nossa pós-graduação “Fitness e Saúde” seja para você. Nela você terá acesso aos maiores nomes fitness do país, aprender sobre cliente e mercado, planejamento de ações dentro e fora do ambiente de academia, prescrições e controle do exercício físico individual e coletivo, além de motivação e gestão de seus clientes.
Confira!

1 comentário em “A evolução da musculação”

  1. Na minha a opinião não existe um padrão de beleza a ser segundo, mas a mídia faz uma influência a um tipo de padrão de beleza. Eu acho que cada um pode ser como ele quiser desde que a pessoa se sinta feliz.

    Responder

Deixe um comentário