Fundamentos do Desenvolvimento Integral – Conheça as disciplinas da Pós Graduação em Desenvolvimento Integral

Como trabalhar o desenvolvimento Integral?

Após uma imersão nos principais desafios que a humanidade enfrenta e na relação que esses desafios contem com a desatualização dos currículos escolares, a disciplina 2 da pós-graduação propõem uma estrutura para visualizar a realidade de desenvolvimento integral.

O grande criador dessa estrutura chamada meta teoria integral é Ken Wilber, um filósofo americano que estudou diversas áreas do conhecimento e teve o insight de começar a integrar correntes de pensamento divergente ao invés de escolher alguma como mais correta.

Segundo Wilber, ninguém age com a intenção de errar e as verdades de cada um são verdades parciais, que precisam se somar para que as diferentes visões sejam contempladas. A famosa frase “ninguém esta errado mas ninguém esta 100% certo” é uma síntese do seu pensamento e exatamente isso que a Teria Integral, busca.

Com os estudos da ciência, psicologia, religião, filosofia e o próprio desenvolvimento humano, está linha de pensamento é um formato revolucionário para que primeiramente nós possamos nos entender para depois entendermos o mundo.

Ken Wilber nos apresenta pelo menos um caminho para que essas dúvidas sejam respondidas por nós mesmo como indivíduo. São diretrizes simples e também profundas, que nos permitem olhar como um todo de forma holística e sustentável para o desenvolvimento humano. de uma forma breve, tentaremos traçar esses caminhos. (você pode acessar a matéria completa, aqui:)

São eles:

  1. Quadrantes, Dimensões da realidade: Interior e exterior, individual e coletivo. Essas quatro, são dimensões realistas, que reflete as perspectivas de tudo que acontece na vida.
  2. Linhas , Inteligências múltiplas: Inteligência interpessoal, inteligência emocional, inteligência cognitiva, espiritual, emocional… Que são as formas de sabedoria em que o desenvolvimento do indivíduo pode e deve ocorrer.
  3. Níveis: Nascemos focados em nós mesmos e ao longo da vida, vamos tendo percepções e nos abrindo para o mundo, para o coletivo.
  4. Estado: Como o nosso cérebro busca o estado de consciência, seja por um sonho, meditativo e experiências vividas.
  5. Tipos: São as diferenças imutáveis de cada indivíduo, personalidade, gêneros…

Como começar a desenvolver empatia por visões diferentes das nossas? Como compreender a atual situação do mundo à luz da diversidade de pessoas e opiniões? E talvez a pergunta mais importante: como usar as nossas diferenças para nos desenvolver ao invés de nos separar? Vamos tentar responder todas essas questões para que a sua sala de aula seja o mundo que você sonha!

Para ter acesso ao a todas as disciplinas do curso, clique aqui:

Compartilhe!

Deixe um comentário