Inatividade física no isolamento: prejuízo muito além do sedentarismo

A falta de atividade física durante o isolamento provoca prejuízos para a saúde mental e também aumenta a idealização suicida.

Eu como professor de educação física e nutricionista sempre digo que o melhor remédio para a melhora da saúde, que diga-se de passagem é o bem-estar físico, psicológico, social e espiritual.
Algumas pessoas acreditam que saúde é definida como ausência de doença, porém é conceito é muito mais amplo. Existem diversos caminhos para a saúde, no entanto, entenda que ela é um processo e não um resultado fechado. Um dos melhores caminhos para incorporá-la é a prática regular se exercícios físicos.
Se estamos nos referindo como algo regular, portanto precisamos associar os benefícios a um estilo de vida ativo e não uma mera fase em que “agora vai” como muito acontece com as pessoas ” fisicamente ativas do verão”.
Essa é uma das justificativas que sempre uso para enaltecer o papel do ensino da prática de exercício físico! Existem muitas diferenças entre atividade física e exercício físico!
Pasmem, um é diferente do outro, mas isso é assunto para um próximo post! Quando uma pessoa entende os porquês de um fenômeno ela passa a dar mais credibilidade as informações do fenômeno em si mas também daquele que o transmite.
Portanto, aos estudantes de educação física e aos próprios profissionais de educação física, a dica que eu dou é:
Ensine seu aluno, ensine seu paciente, ensine sua família, ensine seus amigos, ensine a todas as pessoas que estão no seu círculo de amigos ou em suas mídias sociais. A primeira forma de conquistar a atenção e a reflexão sobre a prática regular de atividade física é entendendo os seus inúmeros benefícios.

O leva uma pessoa a manter a prática de atividade física?

Uma pessoa só se engaja em uma proposta para a mudança do hábito sedentário se for motivada pelos benefícios ou pelo prazer!
Entretanto infelizmente tem o lado ruim da coisa também. Muitas vezes ela só é tocada quando se depara com os malefícios ou prejuízos vinculados a falta de atividade física.
Porém, dependendo da situação em que se encontra o metabolismo, o potencial aeróbio e anaeróbio ou então força e hipertrofia muscular, o corpo pode reduzir a capacidade de melhora, como acontece muitas vezes em pessoas mais velhas que vão ao médico devido a pressão arterial alta e problemas na coluna e também problemas no metabolismo como problemas quanto a glicose alta e triglicérides alto.
Ou seja, quanto mais cedo você ensinar as pessoas sobre como elas podem se engajar em uma proposta crônica de atividade física maiores serão as chances de romper o sedentarismo, aumentar a prática de exercício físico e por consequência melhorar a saúde tanto física quanto mental.
Lembre-se dessa palavra,  “Ensine”! Liberte as pessoas da falta de conhecimento. Acredite, o conhecimento liberta! A base da ignorância é a falta de conhecimento.

A saúde mental é um dos principais benefícios da prática de atividade física

Engana-se quem acredita que a saúde mental não é positivamente melhorada com a prática de atividade física! Existem diversos benefícios da atividade física regular sobre a saúde mental.
Uma das principais justificativas é que a prática de exercício físico é capaz de melhorar a liberação e sinalização de diversos hormônios, entre eles alguns que se destacam como excitatórios e inibitórios da atividade cerebral, ou seja, a prática de exercício físico pode aumentar a troca de informações entre os neurônios cerebrais!
Por outro lado pode relaxá-los, ou seja, aumentar a inibição com que sistemas cerebrais são estimulados, provocando assim, entre diversos benefícios, o prazer e tranquilidade a partir do equilíbrio entre as vias cerebrais que “deixam você ligadão” e as vias cerebrais que “deixam você tranquilão”.

O isolamento afeta a saúde mental de que maneira?

E quando uma pessoa fica vulnerável ao isolamento dentro da própria casa ou  isolamento social? Você acha que isso deixa ela mais tranquila ou relaxada?
Bom, para uns a resposta pode ser essa, no entanto muitas pessoas relatam o contrário.
O isolamento social tem demonstrado ser um fator negativo para a saúde mental devido ao aumento da ansiedade, estresse, tensão quanto a instabilidade do mercado de ações ou economia, perda de emprego, ganho de peso corporal, vontade de comer comidas de alta carga calórica e também idealização suicida.
Estudos recentes tem apresentado dados preocupantes sobre a saúde mental de pessoas em isolamento. Um dos fatores apresentados é justamente a privação da prática regular de atividade física, uma vez que o movimento corporal é capaz de melhorar todo o funcionamento hormonal e metabólico do corpo.
Veja a complexidade com que o ambiente, comportamento humano e manutenção de um estilo de vida ativo modulam a saúde física e mental.
O mais grave é que indivíduos com problemas psicológicos ou inseridos em situações estressantes tais quais: faculdade, emprego, finanças ou problemas na família, podem potencializar o desequilíbrio das faculdades mentais, principalmente sobre as motivações ou prazer em se viver.

Como o ensino de educação física mesmo a distância pode auxiliar as pessoas?

Atualmente, o ensino a distância tem substituído as aulas presenciais. Para alguns essa nova realidade tem aumentado o nível de estresse e ansiedade em função de maior demanda de atividades.
Muitos acreditam que o ensino a distância seja igual ao presencial, porém há muito tempo sabe-se que isso já se modificou.
O ensino a distância aumenta a demanda de leitura, atividade acadêmica e atenção quanto ao conteúdo demasiado em que algumas faculdades estão submetendo seus alunos.
Ou seja, o universitário está diante de uma nova realidade de ensino, e assim sendo é atribuído ao professor que ensine no ambiente virtual da mesma maneira que ele ensina no presencial!
Entretanto a dinâmica e a interação com os conteúdos é totalmente diferente e peculiar. Porém, se bem trabalho é possível que os resultados sejam até melhores que o ensino presencial!

Como o profissional de educação física pode ajudar as pessoas durante o isolamento?

Você já conseguiu compreender como esse turbilhão de fatores negativos tem prejudicado a saúde mental das pessoas.
Falta de atividade física, isolamento social, estresse, tristeza, instabilidade emocional e financeiras. Porém , desses tantos que eu citei qual você julga ser o mais fácil a ser mudado?
Bom, acho que aumentar o numero de passos diários, ou subir uma escada ao invés do elevador e tantas outras formas de aumentar a atividade física diária e por conseguinte melhorar a atividade corporal e mental, não?
No entanto, mais uma vez é preciso ensinar que cada pessoa apresenta uma particularidade que a torna única, seja uma dor no joelho, ou na coluna ou tornozelo ou então quais exercícios físicos podem ser feitos com segurança ou dentro de casa, de modo a contribuir com a saúde mental…
Enfim, para todas essas perguntas procure um profissional de educação física que lhe ensine corretamente o que deve ser feito! Para uma faculdade que ensine a ser um bom professor de educação física, procure a ensine !

Santiago Paes
@santiagotpaes
Doutorando em educação física, Nutricionista, escritor e pesquisador

Deixe um comentário